ALÍQUOTAS INTERESTADUAIS DE ICMS

Segundo a Constituição Federal o Senado, mediante resolução, de iniciativa do Presidente da República ou 1/3 dos Senadores, aprovada por maioria absoluta dos seus membros, deve estabelecer quais serão as alíquotas do ICMS aplicadas nas operações interestaduais que fizerem fato gerador do imposto. O Senado editou duas resoluções regulando a matéria (Resolução 22/89 e 13/12) e as alíquotas ficaram assim:

a) Alíquota Geral nas operações e serviços interestaduais – 12%;

b) Operações e serviços com início no Sul e Sudestes (exceto Espirito Santo) com destino no Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Estado do Espirito Santo – 7%;

c) Operações interestaduais com produtos importados – 4%.

RESOLUÇÃO DO SENADO 22/89

Esta resolução trouxe as alíquotas de 12% e 7% que merecem algumas explicações. Para que a operação ou prestação de serviço seja tributada com a alíquota de 7% ela precisa reunir dois pré-requisitos: ter origem em um Estado do Sul ou Sudeste (excluído o Espirito Santo) e destino em um Estado do Norte, Nordeste, Centro-Oeste ou no Estado do Espirito Santo. Nas demais operações interestaduais, desde que não se trate de produto importado (ou considerado importado), aplicam-se a alíquota de 12%.

RESOLUÇÃO DO SENADO 13/12

A Resolução 13/12 regulou basicamente as operações interestaduais com produtos importados. O primeiro ponto a destacar é que não estamos falando que a alíquota do ICMS importação é de 4%. A Norma refere-se às operações onde contribuinte pratica uma operação interestadual com mercadoria importada (desembaraço aduaneiro em etapa anterior) e com incidência de ICMS. Nesse caso ele deve aplicar a alíquota de 4% nessa operação. Outro ponto que merece destaque é a definição do que se consideram bens e mercadorias importadas segundo a Resolução:

a) Bens e mercadorias importadas que não tenham sido submetidas a processo de industrialização;

b) Bens e mercadorias que, passando por processo de transformação, beneficiamento, montagem, acondicionamento, reacondicionamento, renovação ou recondicionamento, resultem em bem ou mercadoria com conteúdo importado acima de 40%.

O Conselho Nacional de Politica Fazendária (CONFAZ) editou o Ajuste SINIEF 19/2012 dispondo detalhadamente sobre os procedimentos adotados em diversas ocasiões envolvendo operação interestadual com bem ou mercadoria importada (ou considerada importada). Trata-se de uma norma curta e sua leitura na integra, para entender melhor o assunto, vale a pena. (Clique aqui para ver o Ajuste SINIEF 19/2012)

Por derradeiro, é interessante destacar os casos em que não se aplica a alíquota de 4%:

a) Bens e mercadorias importados do exterior que não tenham similar nacional conforme definido na lista da CAMEX. (Para conhecer a lista clique aqui )

b) Gás natural importado do exterior para outros Estados.

c) Bens produzidos em conformidade com processos produtivos básicos de que tratam o Decreto-Lei 288/67, Leis 8.248/91, 8.387/91, 10.176/01 e 11.484/07. A legislação apontada trata, basicamente, da Zona Franca de Manaus, setor de informática e automação e TV Digital (PATVD).

 

Por Marlon José Zanetti

Um comentário em “ALÍQUOTAS INTERESTADUAIS DE ICMS

Deixe uma resposta para Nelson Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s